Intervenção de Paulo Pinheiro

XXIII Congresso Nacional da JSD

XXIII Congresso Nacional

Moções levadas pela JSD Odivelas

Natal na ChikiGentil

JSD Solidária

28 de janeiro de 2015

Porque mais vale prevenir…

Nos últimos tempos, o frenesim das peregrinações a Évora foi substituído por um fantástico sistema de contagem jornalístico de mortalidade nas urgências hospitalares. É a senhora de 89 anos que ficou 9 minutos à espera com pulseira laranja, é o senhor que com 92 anos ficou 6 horas à espera depois de lhe terem sido feitos os exames diagnósticos iniciais, e por aí fora. O ministro mais bem visto deste governo ficou de repente na mira da comunicação social, e parece não ter fim o aproveitamento político que daqui está a ser feito. Mas por muita injustiça que se queira aqui invocar, e esquecendo o tradicional populismo e aproveitamento desmesurado da imprensa, este é dos poucos casos em que a agenda jornalística poderá ter servido para melhorar alguma coisa. 
Numa avaliação breve, é inegável o bom trabalho feito por Paulo Macedo em vários aspectos. O SNS foi deixado pelo antigo governo na mesma situação que o país, falido. Mas o actual governo não assegurou só a sustentabilidade do SNS tirando muitos hospitais da falência técnica, também renegociou os preços dos medicamentos, pôs em funcionamento o registo de prescrição electrónica - fundamental para combater a corrupção de alguns que manchavam e endividavam todo o SNS - produziu e fomentou as normas de orientação clínica, fundamentais à prática actualizada da medicina baseada na evidência, manteve a actualização técnica do Plano Nacional de Vacinação (que muitos ganhos de saúde produziu nos já 35 anos de SNS), com a introdução da vacina para o HPV, e mais importante, manteve os principais indicadores de saúde (tudo indica) nos níveis dos anos anteriores. 
Falhou na difícil reforma do mapa hospitalar, e com este falhou também em acautelar as necessidades dos serviços de urgência. Profissionais desgastados e desmotivadas, equipas claramente pequenas para as necessidades, regras complicadas de contratação de profissionais - parece conversa sindical mas infelizmente não o é, e tudo isto atrevo-me a acrescentar, para uma população com um nível de literacia em saúde claramente deficiente. Com a transição do paradigma Hospital/Cuidados de Saúde Primários ainda longe de ideal, continua a haver uma procura do serviço de urgência (especialmente em alturas críticas) que pode ter sido, e provavelmente foi subestimada.

Paulo Macedo foi chamado, assim como maioria dos ministros, a fazer omeletes sem partir muitos ovos, pelo que pode-se dizer que o orçamento do seu ministério estava longe de ideal. Numa área que nunca se mostrará lucrativa para o estado - apenas menos dispendiosa - fica a mensagem que desinvestimento significam dois passos atrás no que toca a resultados. Se o ministro podia ter feito mais? Quem sabe. Ficou o aviso de que a Saúde tem preço. 


26 de janeiro de 2015

O caminho para a servidão?

Ontem as eleições na Grécia com a vitória do partido de extrema-esquerda Syriza marcam o início de uma nova agenda política na Europa. Mas será verdade que os gregos abriram uma porta à transformação das políticas de austeridade?
Vejamos: 
A Grécia tem hoje mais de um quarto da sua população desempregada e um descrédito manifesto relativamente à solidariedade dos seus parceiros europeus e das instituições europeias. Está quase desde o início da crise nas suas contas públicas com um pé dentro outro fora do euro. A sua economia não cresce e os seus jovens emigram massivamente.
Mas a Grécia colocou-se a si nesse lugar inferior na escala da economia da zona euro, com anos de má gestão das contas e dos subsídios europeus.
A Grécia, tal como Portugal, viu-se obrigada a pedir ajuda financeira e contou com anos de intervenção da troika, precisamente por causa daquela má gestão. 
A "austeridade" não é um fim em si mesmo. Resume-se a um método de salvação, um corte drástico para um mudança radical de comportamentos na gestão das finanças, um meio para chegar ao objectivo de saldar e negociar dívidas. Não é suposto prolongar-se para toda a vida de gestão política de um país, mas ter a mais-valia de resgatar o país do colapso.
Ora, a questão interessante é saber o que o país faz depois de ser obrigado a medidas de austeridade pelos seus credores. Volta aos gastos para lá das suas capacidades e à má gestão dos fundos europeus?
A vitória do Syriza é o caminho natural do ciclo político, que se repete e repete. O povo grego está descontente com os resultados da austeridade, e foi-lhes prometida uma mudança radical que irá criar emprego, prosperidade e justiça, sem obviamente se explicar como, com que meios. 
Tais políticas que voltarão a ser implementadas na Grécia serão apenas um novo pico do ciclo vicioso que, daqui a uns anos, darão origem provavelmente a nova austeridade. Por isso, tal caminho preconizado pelo Syriza terá duas saídas: a mudança do seu programa e a governação moderada ao contrário do que apregoaram na campanha, com a perfeita desculpa da inexecução das suas medidas, ou, o caminho de novo para a servidão.
Os povos que estão submetidos às más políticas dos seus governantes têm menos liberdade do que todos os outros, e aqueles que não exigem explicações estão condenados à discricionaridade de quem os governa.


23 de janeiro de 2015

Je ne suis Sócrates


As eleições estão a chegar! 

É a altura de começar a fazer sondagens todos os dias, a toda a hora e sempre que um político dá um espirro. 
Assim, analisando as últimas sondagens fico no fundo, apenas e só, espantado. 

O partido que criou, idolatrou e premiou o político mais sujo de sempre está na frente das sondagens. Mas atenção, além de estar na frente das sondagens estão a dar o seu voto de confiança à antiga 
"trupe" do mais bem vestido político português. 

Somando a estes “faits divers” é notório que o PS não tem apresentado ideias concretas, é tudo muito vago e sem noção da actual realidade. A única ideia apresentada foi, pasmem-se, a regionalização. Para as pessoas que vão votar este ano pela primeira vez talvez ainda não se lembrem desta ideia apresentada por tantas outras pessoas mas não, não foi o brilhante Costa que a criou. Fica claro que o PS tem dificuldade em apresentar um programa que não envolva o aumento da despesa pública, o aumento do salário mínimo; a reposição das pensões e dos subsídios de desemprego; a reabertura de serviços públicos entretanto fechados. Ou seja, vamos regressar ao tempo do pródigo e iluminado Sócrates. Esperemos que os Portugueses façam contas e não voltem a trazer o país para 2011. 

Entre notícias das botas de Sócrates e as selfies tiradas com o fundo de parede mais conhecida de Évora, aconteceu o horror em Paris. Este atentado alertou o mundo, e em particular a Europa, que somos muito vulneráveis em qualquer cidade e teve também o dom de fazer esquecer Sócrates. Apenas isto explica as últimas sondagens ou então as pessoas votaram para manter o Sócrates na casa dos segredos.

21 de janeiro de 2015

Já Marcaste na Agenda?


O próximo plenário de Militantes realizar-se-á no próximo dia 27 de Janeiro na sede concelhia. Toda a informação encontra-se na última edição do Povo Livre. 
Marca na tua agenda e vem defender a tua juventude em Odivelas. 



Esperamos por ti!!

18 de janeiro de 2015

Sem Dó Nem Piedade!

Assalto ao dinheiro que trazia ou por lhes ter recusado um cigarro, são as causas ainda para apurar do Homicídio que decorreu esta semana perto da estação do metro do Senhor Roubado em Odivelas.
É assustador pensar que ao virar da esquina, nos nossos tão naturais hábitos poderá estar uma verdadeira ameaça bárbara e sem qualquer hipótese de defesa! QUE COBARDES!


A insegurança no Concelho de Odivelas é uma constante. Que medidas seriam as ideiais? Neste caso deveria ser a rede de táxis a proteger os seus funcionários?
Pelo que se sabe, não se tratou de um ajuste de contas mas sim de dois seres, que alcoolizados e na posse de droga retiraram a vida ao pai de duas crianças ainda menores! QUE C-O-B-A-R-D-E-S!
Ainda no ano passado a Câmara de Odivelas demonstrou interesse em avançar com a colocação de câmaras de videovigilância nas zonas mais problemáticas do Concelho. Embora possa, obviamente não resolver todos os actos de vandalismo, pelo menos poderá intimidar alguns deles.
Em relação a este acto ainda ninguém responsável da Câmara Municipal se fez pronunciar. O que é certo é que em declarações feitas à TVI no ano passado, a presidente do Concelho afirmou: “somos o quinto concelho mais seguro da Área Metropolitana de Lisboa”.

Ai Somos? Surpreendente



16 de janeiro de 2015

Raif Badawi, o Charlie Saudita

Raif Badawi, o Charlie Saudita e blogger de 31 anos, que está preso desde 2012 por ofensas como cibercrime e desobediência à sua fé, é um liberal Saudita que foi condenado a uma sentença de 1000 chicotadas e 10 anos de prisão na sequência da criação de um blog, a rede liberal saudita, e que em princípio receberá mais 50 chicotadas esta sexta-feira, na sua cidade natal, em Jeddah.
O blog, entretanto encerrado, ridicularizava o Islão e abriu um fórum para debate político e social. Originalmente o governo Saudita queria acusar o blogger de apostasia (abandono da sua religião) por ter criado o website e não ter removido posts "ofensivos", o que resultaria em pena de prisão.
Apesar de alguns governos de países ocidentais já terem “pedido” que a pena fosse retirada, não têm havido sinais de nenhum tipo de acção diplomática determinada contra a Arábia Saudita.
Na última semana, devido aos atentados contra o jornal satírico Charlie Hebdo (em França), muito se tem falado acerca da defesa da liberdade de expressão, pelo que não podemos deixar de denunciar o caso de Raif Badawi!
A flagelação e outras formas de punição corporal, violam a proibição da tortura e outros maus-tratos. Ao continuar a distribuir este castigo desumano, as autoridades da Arábia Saudita estão a desrespeitar, de forma flagrante, os princípios básicos dos direitos humanos, não nos podendo nós esquecer que, na génese da sua aplicação, está um ato que atenta contra a liberdade de expressão.
Será que a Comunidade Internacional irá, finalmente, exercer algum tipo de acção diplomática determinada que consiga dissuadir a família real Saudita, de perpetrar estes castigos bárbaros e de atentarem contra a liberdade de expressão?

Ou será que, a falta de liberdade de expressão e os castigos desumanos, poderão ser “silenciados” pelo petróleo?



15 de janeiro de 2015

Juventude Solidária

A JSD Odivelas realizou no mês de Dezembro o tradicional Jantar de Natal, onde foram recolhidos vários bens alimentares doados por todos os convidados, no âmbito do projecto JSD Odivelas: juventude solidária. Estes alimentos compuseram um grande Cabaz de Natal que tinha como finalidade ajudar uma família carenciada do Concelho. Esta acção de solidariedade culminou agora no passado dia 12 de Janeiro com a entrega do Cabaz de Natal à família. Esperamos que esta pequena ajuda contribua para diminuir as preocupações desta família.
A solidariedade é um tema que está muito presente na nossa estrutura e, por isso, a JSD Odivelas orgulha-se de poder contribuir ao longo de todo o ano para os que mais precisam.

Ainda no dia 12 de Janeiro e no âmbito do mesmo projecto, a JSD Odivelas entregou vários garrafões com centenas de tampas que foram recolhidas ao longo dos últimos meses entre os membros da comissão políticas, com o objectivo de ajudar o Tomás. Um jovem do nosso Concelho que sofre de uma síndrome rara: Encefalopatia Epiléptica Infantil Precoce, mais conhecida como síndrome de Otahara.
O Tomás tem que fazer vários tratamentos que o ajudam no seu dia a dia e no seu desenvolvimento, só que esses tratamentos são muito caros. São precisas várias toneladas de tampinhas de plástico para poder ajudar a pagar os tratamentos que o Tomás tem que fazer todas as semanas, por isso é importante que se continue a ajudar o Tomás. Uma tonelada de tampas equivale a 250€ de ajuda, mas ainda tem que se pagar o transporte para a empresa de reciclagem. Um pequeno gesto para cada um de nós pode fazer uma enorme diferença nestas famílias. Por isso guarda as tuas tampinhas e junta-te a nós… JUNTOS PELO TOMÁS!



Para acompanhares o movimento de apoio ao Tomás acede aqui: https://www.facebook.com/JuntosPeloTomas