Campanha Regresso às Aulas TOP

Estamos nas escolas, fica atento e participa!

JSD Odivelas TV - 10º Edição!

Acompanha as actividades Fevereiro/Março

Universidade de Verão 2014

Odivelas novamente bem representada

Tomada de Posse da Comissão Política

Sunset no Jardim da Música de Odivelas

23 de Setembro de 2014

Campanha Regresso às Aulas 2014/15

A JSD Odivelas já está nas escolas do concelho de Odivelas na habitual campanha de Regresso às Aulas.
Este ano, em vez de nos cingirmos à habitual distribuição de horários, apostámos em algo mais dinâmico e interactivo, e que cativasse o interesse dos jovens para conhecer o trabalho que fazemos em prol deles e do Concelho de Odivelas. Assim, organizámos um concurso de fotografia no Facebook, com uma moldura apelativa e apetrechos divertidos, e cujos prémios são - quanto a nós - bastante tentadores.
Já nos deslocámos a algumas escolas do concelho e continuaremos a actividade até ao final desta semana. Temos tido uma ótima adesão, sendo que muitas vezes são os jovens a abordar-nos, e já tivemos oportunidade de participar em conversas com jovens bastante informados e interessados, ao contrário do que é o preconceito geral em relação às gerações mais jovens!




Acompanhem tudo pelo facebook, e podem também consultar por aqui o regulamento e o calendário da actividade!

21 de Setembro de 2014

Conferência/Debate – Caneças que futuro?

Decorreu no passado dia 19 de Setembro de 2014 (sexta-feira), na casa da cultura de Caneças, a Conferência/Debate: Caneças – Que futuro?
A Conferência/Debate contou com a participação de autarcas da freguesia e docentes da faculdade de arquitetura da universidade lusíada de Lisboa. Este evento, que contou com a organização da universidade lusíada de Lisboa (LABURB/CITAD) e com o apoio da união das freguesias de Ramada e Caneças, foi o culminar de uma parceria entre a câmara municipal de Odivelas e a faculdade de arquitetura da universidade lusíada de Lisboa, que teve início em 2011.


Os projetos apresentados pelos docentes (Miguel Ângelo, Pedro Lebre e Vítor Neves) eram trabalhos académicos (realizados pelos alunos) e não pretendiam constituir-se como propostas técnico-profissionais de caráter estruturante. Eram propostas alternativas que pretendiam questionar situações anómalas existentes e ficcionar soluções ideais. Estas propostas, pensadas ao mesmo tempo por muitas mentes jovens, pretendiam apresentar recomendações para a vila de Caneças e foram aglutinadas e apresentadas num documento intitulado de “Caneças Termos de Referência”.

Entre as várias problemáticas detetadas na vila de Caneças, as mais visadas foram a grande degradação do património paisagístico ligado à água, o excesso de massa construída, a dispersão urbana como prevalência de um tecido urbano fragmentado, problemas de trânsito e estacionamento (principalmente o trânsito de atravessamento), a inexistência de espaços públicos, o “estreito” de Caneças, a mobilidade reduzida no centro da Vila e a problemática da localização da rodoviária.

De entre várias recomendações, as mais visadas tiveram como foco o Ordenamento (deverá ser implementado um processo de planeamento urbano sustentável e integrado que tenha em atenção a organização urbanística privilegiando a consolidação do tecido urbano e o preenchimento de vazios no perímetro urbano), as Estruturas Viárias e Estacionamento (deverá ser implementado um plano de circulação e estacionamento para a vila que tenha em atenção as necessidades atuais, nomeadamente a resolução dos atravessamentos viários Nascente-Poente e Norte-Sul e a carência de lugares de estacionamento), as Áreas Verdes (deverá ser implementado um projeto integrado de áreas verdes, incluindo a Quinta dos Castanheiros, que determinará um conjunto de áreas de lazer e de espaços públicos associados ao aproveitamento de recursos hídricos), o Turismo/Cultura/Comércio (deverá ser implementado um estudo que equacione as potencialidades de desenvolvimento de actividades culturais, associadas ao turismo e ao mundo rural. Nessa perspetiva equaciona-se a validade de um novo espaço cultural - museu vivo da água - e de um mercado de produtos agrícolas, associados a espaços públicos de excelência e ao desenvolvimento de novas áreas comerciais e de restauração) e a Habitação (deverá ser repensado o modelo de tipologias para habitação, dando primazia à habitação sénior e à habitação unifamiliar). Neste último caso deverá ser equacionado o desenvolvimento de novas tipologias habitacionais que introduzam o tele-trabalho e a possibilidade do desenvolvimento de clusters ligados à utilização de novas tecnologias informáticas e ao desenvolvimento de sistemas eco-sustentáveis).

Concluiu-se também que Caneças tem potencial para continuar a ser uma área agrícola, sobretudo em áreas especializadas da agricultura/floricultura intensiva com alguma valência tecnológica na área das estufas. Tem também um enorme potencial na área do turismo, sobretudo através dos temas relacionados com a ruralidade saloia e com a água. Existe uma possibilidade efetiva de atrair a população urbana da região de Lisboa, sobretudo nos finais de semana e de desenvolver um tipo de turismo cultural relacionado com esses temas, desenvolvendo a montante alguma oferta nos capítulos do comércio e da restauração.


A JSD Odivelas dá os Parabéns, por esta excelente iniciativa e pelo excelente trabalho, a todos os que estiveram envolvidos na mesma!

18 de Setembro de 2014

Encerramento do Instituto de Odivelas - Sem respostas ou explicações

No passado dia 12 de Setembro, num e-mail dirigido a todas as bancadas parlamentares da Assembleia da República, uma professora do Instituto de Odivelas fez questão de chamar a atenção para alguns números (deste ano lectivo 2014/2015) que transcrevemos:

“70 é o número de alunas actualmente no Instituto de Odivelas,
82 alunas provenientes do Instituto de Odivelas estão no Colégio Militar,
 152 alunas poderiam estar a frequentar o Instituto de Odivelas.
 140 alunas saíram do Instituto de Odivelas para outras escolas, públicas e privadas, por não poderem continuar a frequentar o Instituto de Odivelas.
 No início do ano lectivo de 2013/2014 frequentavam o Instituto de Odivelas, sem o 5.º ano, 7.º e 10.º ano (alunas externas), cerca de 300 alunas. Uma procura considerável para uma escola a prazo por dois anos.
Em condições normais, sem os constrangimentos ditados pelo Despacho do Ministério da Defesa Nacional, e atendendo à procura crescente, que não encontrou  possibilidade de oferta, neste ano lectivo de 2014/2015 facilmente se teria chegado às 400 alunas.

De acordo com tal Despacho, interessa "potenciar a excelência" do Colégio Militar.
 O potenciar da excelência do ensino do Instituto de Odivelas passa pela extinção de uma escola que funciona bem, e que conta com quase 115 anos de existência.”



Porque não nos envergonhamos de defender os interesses de Odivelas e dos jovens Odivelenses, a posição da JSD Odivelas sempre foi conhecida em relação a esta matéria e relembramos a entrevista dada à TvL pelo companheiro Filipe Moreira http://kontacto.blogspot.pt/2014/06/jsd-odivelas-discute-situacao-do.html .

Aproveitamos também para reiterar as perguntas que fizemos no comunicado de imprensa ( http://kontacto.blogspot.pt/2013/04/jsd-odivelas-defende-manutencao-de.html ) , e que continuam sem resposta ao fim de ano e meio.

14 de Setembro de 2014

Incentivar a natalidade! Uma causa necessária

Portugal é um dos países da Europa onde a natalidade tem decrescido amplamente. Inúmeras são as razões para tal facto.
Este foi um dos temas abordados durante a Universidade de Verão pelo Prof. Doutor Joaquim Azevedo de forma exímia.
De acordo com o INE, há 12 anos para cá a natalidade tem diminuído, apresentando mesmo valores preocupantes nos últimos dois anos.
O Professor realçou a diferença existente entre a fecundidade desejada (2,31) e a actual (1,28). Querendo com isto dizer que existe até vontade de aumentar a natalidade mas que não existem condições para tal. Não é necessário que as mulheres voltem para casa, é imperioso remover os obstáculos existentes à natalidade desejada.
Neste sentido, foi divulgado este mês de setembro pelas mãos do Prof.Doutor Joaquim Azevedo, um relatório intitulado: “Por um Portugal amigo das crianças, das famílias e da natalidade (2015-2035)”.
O relatório é claro e critica o Estado por ter produzido, ao longo do tempo políticas demográficas “desconexas”, propondo uma política natalista integrada no apoio à família.
As 29 medidas centram-se em diversas áreas: fisco, trabalho, solidariedade social, saúde e educação.  
Na apresentação realizada em Castelo de Vide o Prof. Doutor Joaquim falou-nos do aumento do rendimento das famílias com filhos.
Realçou também a importância da harmonização do trabalho-família e um melhor acesso a serviços de guarda e ocupação das crianças.
Actualmente, um casal com mais filhos é prejudicado em termos fiscais. Assim, propõe-se também uma redução de 1,5% na taxa de IRSA para o 1º filho e 2% para o 2ºfilho.


O relatório pode ser consultado aqui: http://www.psd.pt/ficheiros/dossiers_politicos/dossier1405440683.pdf


Aguardando que estas medidas sejam implementadas, por um: “Portugal amigo das crianças e das famílias”

12 de Setembro de 2014

Breves acerca dos "primários"

Sempre achei a realização de primarias no PS uma excelente e até inovadora medida para remediar a crise interna.

Tenho acompanhado de forma sucinta, mas ao ler um dos candidatos a referir que: "Nenhum partido até agora apresentou um Programa de Governo, seria bizarro que o PS já o tivesse feito" - o respeito que tinha por uma forma inteligente de dinamizar a politica caiu por terra.

Afinal torna-se claro que não estão a haver primárias  que não se está a discutir o país nem caminhos diferentes para o mesmo. Torna-se óbvio que o que vai a eleições no PS é o círculo de influências e o ego dos seus "líderes".

Parece que os politicos "com provas dadas" não só não inovam e melhoram por si, mas prendem-se e impedem os outros de inovar. Pode ser muito mauzinho em muitas coisas, mas neste processo o António "sem provas dadas" tem prestado muito melhor serviço ao país que o António "com provas dadas" que mais não faz que acenar ao eleitorado com a mesma política praticada pelos "históricos" do PS e que tem conduzido o país quando os Socialistas estão no governo - sensivelmente 30 dos últimos 40 anos de democracia. 

10 de Setembro de 2014

JSD Odivelas TV - edição n.º 10

A JSD Odivelas TV vai já na sua 10ª Edição!

Esta edição inclui as actividades da JSD Odivelas nos meses de Fevereiro a Março de 2014, ficando a faltar apenas os meses de Abril a Junho para ficar documentado todo o mandato 2012/2014. 


De destacar a participação da JSDOdivelas na Universidade Europa, a realização de uma reunião temática sobre a história de Odivelas com a Dra. Máxima Vaz que mereceu uma edição especial, e ainda a realização de uma formação autárquica dirigida para a Comissão Política.

Vê aqui a edição n.º10 abaixo:

 

8 de Setembro de 2014

6º Dia UV 2014

Pelas 10 horas da manhã começava a aula “Portugal no Euro: Oportunidades e condicionamentos” dada pela Ministra das Finanças Dr.ª Maria Luís Albuquerque onde foi abordado o contexto atual de Portugal na UE, uma explicação detalhada da entrada de Portugal o euro, com todas as suas vicissitudes. A ministra mostrou-se bem-disposta e respondeu a diversas perguntas dos alunos.

Da parte da tarde chegava a tão esperada simulação da Assembleia da Republica onde os alunos tiveram oportunidade de aplicar tudo aquilo que aprenderam ao longo da árdua e exaustiva semana de trabalhos. As intervenções foram na sua maioria de grande qualidade, confirmada pelos observadores, o deputado Duarte Marques e o eurodeputado Carlos Coelho.

Nesta sessão interveio toda a comitiva Odivelense, espelho da qualidade de formação que já vinha da concelhia e da aplicabilidade da mesma junto dos grupos de trabalho, o que fez com que fossem escolhidos entre os seus pares. Seja na oposição atacante, ou seja na defesa das propostas do Governo, a nossa representação sem dúvida que se destacou pela qualidade na execução das tarefas que lhes eram incutidas.

Nesta simulação da Assembleia da Republica foram discutidos os temas:
- Legalização da prostituição
- Reduzir o número de Deputados na Assembleia da República
- Aumento da idade mínima para consumo de álcool
- Autorização da contração de trabalhadores para substituição de grevistas
- Abolição das touradas em Portugal
- Legalização da Eutanásia
- Introdução da Energia Nuclear em Portugal
- Alargar a limitação de mandatos a outros cargos políticos
- Estabelecer o voto obrigatório
- Saída de Portugal da Nato

Como já é tradição, o jantar foi precedido por dois momentos culturais de elevada qualidade um pelo “benjamin” da UV que nos declamou uma poesia da sua autoria, e outro protagonizado pela nossa Vice- Presidente que cantou e encantou com a musica “E depois do Adeus”
Após a avaliação seguiu-se o jantar conferência com o Sr. Eng. Jorge Moreira da Silva que nos falou um pouco acerca daquilo que é o caminho que Portugal tem vindo a desenvolver, em matérias relacionadas com o ambiente. Tendo respondido de forma detalhada a cada pergunta dos alunos.

Visto ter sido a última noite houve ainda espaço para uma noite de fados, ao som da bela voz da conselheira Teresa Azoia que foi presenteada com um ramo de flores pelos seus grupos por todo o trabalho desenvolvido.


Começa a sentir-se a nostalgia no ar, à medida que a UV se aproxima do fim. Fizemos o nosso trabalho e não temos dúvidas que foi uma experiência única! Mantivemos e elevamos o nome do nosso concelho ao resto do país com a nossa qualidade e penso não termos desapontado!

“Viva a JSD, Viva o PSD, mas viva acima de tudo Portugal”