Pacto de Autarcas

Município de Odivelas não subscreve

A Corrupção

Carla Sofia Marcelino

Não há Políticas de Juventude em Odivelas!

OdivelasTV Entrevista presidente da JSD Odivelas, Carla Marcelino

2 de julho de 2015

Newsletter Economia Junho 2015


11 de junho de 2015

Os sinais de um Bipolar

Os telejornais ecoaram durante a semana passada uma possível libertação do Sr. José Sócrates. A correria a Évora voltou e o público correu para a plateia para assistir a uma nova peça. 

Terá sido um um golpe da TV pela novela estar a perder audiências? Terá sido ainda o actor que estaria a sentir a bilheteira a ficar às moscas? 

Bom, o que é certo é que será muito difícil o Senhor Sócrates ter escapatória e é por isso que partilho convosco este vídeo. Vale a pena perder um bocadinho a ver. 


9 de junho de 2015

Está na hora de a Grécia se ir embora!

O futuro da Grécia na zona euro está por um ténue fio, um fio que tem esticado, esticado, esticado mas que irá romper mais tarde ou mais cedo.

Esta é a dura realidade de um país que criou o ilusionismo de fazer parte da moeda única, mas que nunca deveria ter entrado. Podemos pensar que Portugal é um caso semelhante mas não somos de longe um país igual ao da Grécia. O Euro trouxe muito dinheiro a Portugal (e por isso mesmo agora o temos de pagar quer queiramos, quer não), mas também acabou por nos tirar a independência monetária.

Nunca esteve previsto um país que tenha outrora entrado na zona euro poder sair, mas há sempre uma primeira vez, e porque tem que haver uma primeira vez, e porque vai haver uma primeira vez. É inevitável penso eu. É também inacreditável como um país que já foi epicentro da história antiga tenha sido entregue ao despesismo, irresponsabilidade, hipocrisia e imaturidade que por ventura a democracia quer de direita quer de esquerda deixou.

Financeiramente, as perdas já lá vão (infelizmente). Quem nos dera que os nossos investimentos corram sempre bem, mas não nos podemos esquecer que o risco sistemático está sempre presente. O que podemos e devemos fazer sim é mitigar os efeitos que a saída da Grécia está a proporcionar à economia europeia. Digamos que a Grécia neste momento é um cancro que temos de erradicar do nosso corpo antes que o nosso corpo seja devorado pela arrogância esquerdista e despesista de um povo que não quer pagar nem quer abdicar de “direitos” que se julgam universais. Quase que se compara o direito à vida com o direito à pensão e ao subsídio.

Banco Central Europeu e Comissão Europeia, sejam capazes de convidar a Grécia a sair do Euro, que sejam capazes de assumir mais perdas de curto prazo em troca de estabilidade política e financeira de uma zona económica débil, que quer crescer mas que tem um pequeno cancro no seu apêndice continental.



Grécia, já vais tarde..

6 de junho de 2015

Corrida desenfreada ao título

E aqui estão elas, as eleições legislativas à espreita. O aquecimento para o derby está feito e a verdadeira batalha do vale tudo no adro. 


A equipa tentou e tentou controlar-se para não ultrapassar o fora de jogo mas António Costa não resiste às tradicionais promessas para que consiga conquistar o voto.
 

Mas será que é mesmo isso que o português quer ouvir? 

Não estamos todos fartos do paraíso que sempre nos venderam acordando sempre de seguida para o pesadelo?

O líder do PS quer convictamente devolver os salários da função pública e não cortar nas pensões. Ainda promete actualizar o salário mínimo.
Então senhor Costa não tinha afirmado que não se queria apoiar em promessas?
- Isto da amnésia é um problema complicado de gerir.

Mas fico um nadinha mais confiante quando este afirma que defende: " um Estado que não se consome em gorduras" (...) Estará o Costinha preocupado em manter um estilo de vida mais saudável?
Ai não, estou enganada... Fico mesmo meio baralhada com estas medidas que ele tem apresentado. Serei só eu?

3 de junho de 2015

"Não há almoços grátis"


O título deste texto não poderia ser outro quando se pretende falar sobre o Prof. Dr. João César das Neves.
Para além de ser o título dos seus livros e a sua frase mais característica, reconhecida imediatamente por todos aqueles que já tiveram o prazer de assistir a uma aula sua, bem como pelos que acompanham as suas publicações e trabalhos, é uma frase que resume bem o retrato económico do país traçado nesta iniciativa da JSD Odivelas para a qual o Professor amavelmente aceitou o convite.


 Com a isenção própria de alguém quem não está associado a qualquer cor política, o Prof. Dr. João César das Neves abordou os mais variados temas, nomeadamente, a situação grega e a coesão europeia e o desemprego e emigração jovem, sempre com a independência, rigor e coerência que o caracterizam. 
Foi com grande mestria e genialidade que o Professor, ao longo do debate, desmontou os mitos económicos e vaticínios de um triste fado que todos os dias invadem as nossas casas e vidas, mas ao mesmo tempo colocou em sentido os alarmes da nossa consciência social, alertando, entre outras coisas, para a excentricidade daqueles que estiveram hibernados durante a austeridade e que agora ressurgem, aclamando tempos de “vacas gordas”, pela voz do D. João V da era moderna cujo único caminho que tem apresenta para Portugal é o de um novo resgate.
Enquanto florescia em nós uma fé provocada pela enumeração das boas medidas tomadas durante o último mandato, esta desvanecia quando confrontados com o que faltou fazer, sobretudo com a realidade dos grupos de interesses que constantemente estagnam a mudança e evolução do País e que estão tão enraizados na sociedade portuguesa que nem com a pressão da troika foi possível arrancar.


À medida que íamos sendo confrontados com o privilégio que temos por fazermos parte uma geração que está a viver uma época histórica de profunda mutação social, equivalente à da Revolução Industrial, que disfruta de uma maior esperança de vida e com melhores condições do que as anteriores, rapidamente fomos advertidos sobre problemas que essa mesma mutação nos causará, nomeadamente, no que respeita às carreiras profissionais, colocando à prova a nossa capacidade de adaptação.

No final do debate, o sentimento era o de ter acabado de ser invadido por uma fresca esperança no futuro, sofrendo, no entanto, um frio banho de realidade que nos faz manter os pés bem assentes no chão.


Termino este texto enaltecendo esta iniciativa que encheu de jovens (numa sexta-feira à noite!) a nossa sede, para ouvir e falar com um ilustre economista e professor catedrático que sobre o estado do país e do Mundo.

Se isto não é “um almoço grátis”, será certamente um bom exemplo de que temos cada vez mais jovens preocupados e com consciência cívica e social, o que só poderá contribuir para um País melhor e mais desenvolvido.




29 de maio de 2015

Hoje - debate com Prof. João César das Neves


Hoje receberemos na nossa sede o Sr. Professor Doutor João César das Neves, economista professor catedrático, que nos fará o retrato do estado da economia do país.
Foi assessor económico do primeiro-ministro entre 1991 e 1995, em 1990 foi assessor do ministro das Finanças e, de 1990 a 1991 e de 1995 a 1997, técnico superior do Banco de Portugal. Autor de mais de trinta livros e de múltiplos artigos científicos, é também colaborador na imprensa.

A formação e o debate de ideias são a génese da JSD Odivelas e esta iniciativa contribuirá para o teu esclarecimento!

Participa!

Sempre contigo!
JSD Odivelas

26 de maio de 2015

I Fim-de-Semana de Teambuilding organizado pela JSD Odivelas


No fim-de-semana de 16 e 17 de Maio, realizou-se o I Fim-de-Semana de Teambuilding organizado pela JSD Odivelas. Esta foi uma iniciativa há muito tempo pensada pela Comissão Política da JSD Odivelas e que consideramos ter tido um grande sucesso.


O local eleito foi o  Parque de Campismo Orbitur, em Montargil, junto à barragem de Montargil e contou com a presença de elementos da Comissão Política da JSD Odivelas e amigos que se juntaram à nossa equipa para partilhar momentos únicos. 
O objectivo traçado pelo grupo foi largamente atingido. Para além dos laços de amizade e companheirismo ter saído fortalecido, foi possível também criar um tempo de descontracção fora do habitual ambiente político onde os participantes pudessem confraternizar sem a “pressão” política inerente às suas responsabilidades

Neste fim-de-semana puderam realizar-se várias atividades, tais como, canoagem, paddle, paintball, btt, escalada, slide, tiro com arco e alguns jogos tradicionais. Pudemos contar, ainda, com um jantar convívio preparado pelos elementos da Comissão Política da JSD Odivelas e um momento de puro convívio, na praia, após o jantar.

Acreditamos que os objetivos aos quais nos propusemos aquando da realização desta iniciativa foram totalmente atingidos e as nossas expectativas para este fim-de-semana foram superadas.
Esperamos, futuramente, caso a iniciativa se volte a repetir, contar com a presença de ainda mais militantes da JSD Odivelas e também de outras secções, pois podem acreditar que é uma experiência que jamais irão esquecer!